Caminhos....

Caminha!Embora a estrada seja sempre a mesma, encontrarás variações indefinidas, nos atalhos que o caminho apresenta...Irmãos incontáveis, com as mesmas necessidades, com os mesmos problemas e com os mesmos apelos de amor.Todos andam ao teu lado! Todos esperam de ti, o amparo provisório de que se sentem necessitados! Não os defraudes com tua reprovação! Não temas de ser restrito no recurso que lhes apresentes. Dá e dá sempre, sem receio de errar.Nunca esperes ter tudo o que imaginas necessário para mitigar-lhes as lágrimas. Lembra que a cada um lhe é dado o necessário para a devida sustentação, mas para quem tem bastante e sempre, pode auxiliar com mais facilidade.Auxilia! Teu recurso, junto a outros recursos de outros irmãos, formarão o conjunto do necessário para quem chora. Importa é não parar com a vossa caridade, a fim de que a caridade de Deus resplandeça por vosso intermédio, sobre a humanidade inteira.Lembra-te das bênçãos do tempo que tudo modifica e tudo remove, e não descreias da verdade e do bem.A criança abandonada de hoje, poderá ser, o dia de amanhã com a ajuda do tempo, o operário afortunado do qual poderás receber as bênçãos do auxílio na hora de maior necessidade.O irmão enfermo, poderá se restabelecer e modificar o roteiro de penúria em que hoje vive...Tanto quanto, as coletividades que hoje se debatem na violência e na destruição, serão as que restabelecerão a harmonia e a paz no futuro, através do trabalho árduo do cultivo da terra e da tarefa digna do esclarecimento e da cultura para que a vida fale em alegria e amor...Amigos do coração: não tenhamos receio de servir em favor da causa do bem!Esqueçamos contratempos e doenças e entreguemo-nos de alma e coração ao serviço da fraternidade, lembrando apenas que, as dores e os sofrimentos nada mais são do que lições redentoras que nos ajudam a ascender ao convívio dos Amigos da Vida mais alta, para o desempenho de tarefas dignas para a eternidade que nos aguarda.E, unidos, defendendo o patrimônio do Amor, encontraremos sem lugar a dúvida, a própria vitória em nosso constante caminhar com Deus.
02/09/81 Bezerra de Menezes